domingo, 5 de setembro de 2010

A ESTRADA DE RIO VARGEDO PARA MORRO DA FUMAÇA - O ATALHO

ESTA FOTO É DE 1953
DA ESQUERDA PARA A DIREITA:
1ª CASA: RESIDENCIA NOVA DE ATTILIO SALVAN
CONSTRUIDA EM 1953
2ª CASA: RESIDENCIA VELHA DE ATTILIO SALVAN,
 CASA QUE OTAVIO SALVAN
FOI MORAR  EM 1960
Rio Vargedo, a partir do ano 1950, era um grande produtor de farinha de mandioca, derivados de suínos, madeira serrada, e já concorria com Morro da Fumaça na venda de tijolos para Criciúma e região. O principal acesso à Morro da Fumaça era via Santa Apolônia. O difícil era cruzar a dita “RETA”, trecho de três quilômetros entre a Santa Apolônia até o Bairro Naspolini que era um banhadão só. Os banhados era só um coqueiral.

 No livro: “MORRO DA FUMAÇA E SUA DIVINA E HUMANA COMÉDIA” do autor Pe. Claudino Biff (1988), na página 60, em entrevista ao Sr. SANTO MACCARI ela já relatava  “.....Hoje, de Morro da Fumaça à Santa Apolônia se faz em meia hora a pé. Naquele tempo a carro de bois, se levava quase 10 horas, por causa  dos atoleiros. Foi o lugar do mundo onde mais se blasfemou. Ao longo  da  estrada era um cemitério de carros de bois.....” ....O Sr. Octavio Naspolini relata também que havia nove pontes no trecho do banhadão entre a Moliza até a Santa Apolônia. Na época da chuva, havia dois ônibus para a linha de Criciúma a Laguna com baldeação de passageiros no Banhadão. Em 1957 foi concluída a dragagem do Rio Urussanga no trecho vindo da Esplanada até Santa Apolônia.

DEFENDI SALVAN – DN: 19-04-1930
Casado com
 ARMIDA DAMIAN PRÉVE SALVAN
dn:25-02-1929
   DEFENDI SALVAN, para encurtar a distância,  no ano de 1958, faz a seu custo, a nova estrada ligando a comunidade de Rio Vargedo até o Distrito de Morro da Fumaça. Construiú também, por conta própria, a PRIMEIRA PONTE. Ponte baixa,  que  ficou conhecida como a “Ponte do Defendi”, havia ali para passagem de pedestre somente uma picada e uma pinguela, também construída por DEFENDI já em 1943.


Ele segue um quilômetro a dentro com a estrada no município de Morro da Fumaça, até onde hoje se encontra a empresa SANTHINNER.

Estrada aberta por Defendi Salvan,  de Rio Vargedo
chegando em Morro da Fumaça 

  O Rio Urussanga tinha acabado de receber seu novo traçado, neste trecho, vindo a dragagem no sentido de Santa Apolonia à Urussanga Baixa, em 1958, feito pelo D.N.O.S.  A nova estrada era de fundamental importância para o desenvolvimento de Rio Vargedo, embora também, havia ali vários trechos alagados que formavam os “banhadões e atoledos”. A nova estrada beneficiou toda a comunidade  de  Rio Vargedo e arredores, pois encurtou a distância de 9 para 3 quilometros.
            Para a construção da primeira ponte, Defendi ganhou toda a madeira na comunidade. Pagou o frete e a mão-de-obra. A primeira ponte, durou somente um ano. Veio uma enchete e a carregou..DEFENDI, constrói a SEGUNDA PONTE.
            Quem trabalhou na construção da primeira e segunda ponte, inclusive a estrada, foram os senhores:  JOÃO SARTOR, DEFENDI SALVAN, GENOR SALVAN, GETULIO FONTANA BURATO, GÍLIO "NENI" MAGAGNIN, OTAVIO SALVAN, MAURICIO SALVAN, ERMÍDIO SALVAN, PAULO CORAL, TONINHO DELEGADO, EUCLIDES MANOEL MENDES, OLÁVIO MENDES e OUTROS.

  “....Por muitos anos a passagem de pedestres sobre o rio era feito por cima de uma figueira que foi tombada, ligando as duas margens do rio. Em seguida, o Defendi Salvan construiu uma pinguela que ficou até o ano de 1958, sendo carregada pela enchente.... A agua do Rio Urussanga era limpa, transparente, a gente via os peixes, tinha sempre gente pescando ali...A gente parava ali para lavar os pés, colocar os sapatos e seguir viagem até Morro da Fumaça, para ir a missa, festas e namorar.....namorar né belo, só nos domingos.....Quando não tinha a pinguela os tiradores de areia passavam a gente em suas canoas....Sabe né caro, depois o Fendi fez a PRIMEIRA PONTE, uma ponte baixinha, pagou tudo sozinho...ai não sei quando bélo, veio uma outra enchente braba e carregou a ponte do Fendi....mas ele não desistia e fez outra pinguela...e depois outra ponte” (Fonte: ANGÉLICA SALVAN  PITTIGLIANI (DN: 20-05-1923) , 82 anos,  em  09-02-2006 - minha tia-avó)  ...Minha tiavó, a Tia Angélica, faleceu no dia 12-05-2009 com 86 anos.



AMÁBILE ANA SALVAN
(1942)
           “...Em 1943, eu era solteira, casei no dia 18-09-1945 , lembro-me que eu tinha muito medo de passar na pinguela. Era muito comprida. A gente ia para Morro da Fumaça a pé. Tinha uma picada pelo meio dos matos, a gente passava a pinguela e sai ali onde morava o Gregório Espíndola, (na Moliza), alí onde hoje é o Bairro Naspolini...” AMÁBILE ANA SALVAN DAGOSTIN  DN: 18-01-1923 Casou-se em 18-09-1945 com  ZEFERINO D´AGOSTIN (Vira Breque)  -  em  24-03-2007 com 84 anos

1959 - Defendi constrói a SEGUNDA PONTE

Nesta foto: GETULIO FONTANA BURATO, GENOR SALVAN, GÍLIO “NENI” MAGAGNIN, DEFENDI SALVAN, OTÁVIO SALVAN, JOÃO SARTOR e ERMÍDIO SALVAN.

LEMBRO-ME QUE EU PESCAVA E TOMAVA BANHO NESTE RIO. (HOJE É IMPOSIVEL DEVIDO A POLUIÇÃO).

CONSTRUIDAS NO ANO DE 1959 e 1960, DE FORMA ARTESANAL E BRAÇAL, POR CONTA E CUSTAS PRÓPRIAS, PELOS SENHORES DEFENDI SALVAN E ATTILIO SALVAN. ESTA PONTE ERA PRECISO PARA ENCURTAR O CAMINHO PARA LEVAR OS TIJOLOS FABRICADOS POR ELES ATÉ A LOCALIDADE DE ESPLANADA, ONDE ALI O TREM FAZIA O FRETE DOS TIJOLOS ATÉ TUBARÃO, LAGUNA E IMBITUBA.

TODA A MADEIRA PARA A CONSTRUÇÃO DESTA PONTE FOI TRANSPORTADA DE CARRETÃO DE BOI PELO Sr PAULO CORAL.
Uma  enchente no ano de 1961, novamente carrega essa ponte.  Defendi constroí mais uma ponte péncil, “A pinguela”, que fica como passagem somente para pedestres até o ano de 1964. Tres anos.
     
1964 - Defendi constrói a TERCEIRA PONTE      

 A TERCEIRA PONTE construída sobre o Rio Urussanga, novamente iniciada por DEFENDI SALVAN, terminada e inaugurada no ano de 1964, pelos prefeitos Srs LUIZ NANDI de TREZE DE MAIO e JORGE SILVA de MORRO DA FUMAÇA, foi novamente carregada pela enchente de MARÇO DE 1974.

            A partir de marco/1974 passagem somente de a pé ou de bicicleta através das canoas dos tiradores de areia. Eu estudava no COLÉGIO MARIA SSMA DISPENSADORA DE TODAS AS GRAÇAS, Madre Maria Gertrudes, que encerrou suas atividades em MORRO DA FUMAÇA-SC  em 20-12-1975, lembro-me que eu atravessava o Rio Urussanga dentro das canoas. Em seguida foi construido ali, pela Prefeitura Municipal de TREZE DE MAIO, na gestão do Prefeito Sr. NILSON SIMON NANDI e do Vereador Sr. OTÁVIO SALVAN, mais uma ponte péncil, “a pinguela” , que ficou para a passagem de pedestre até o ano de 1976. Veículos  somente via Santa Apolonia ou São João de Urussanga Baixa.

Após a inauguração da 3ª ponte, as autoridades e empresários posam para mais uma foto. Agora debaixo da ponte.
Na foto, da esquerda para a direira:
1 - Falta identificar;
2 - Engº  Civil Celso Ramos Filho (Representando o seu Pai, Governador do Estado de SC, Celso Ramos;
3 - Defendi Salvan;
4 - Alberto Cesca;
5 - João Sartor;
6 - O senhor alto de óculos, não foi identificado;
7 - Deputado Estadual Waldemar Salles;
8 - O senhor de idade, mais atras é José "Bepi" Guglielmi;
9 - Humberto Salvan;
10 - Gílio Magagnin, o Seu Neni (de chapéu);
11 - Vereador Fernando Zanatta;
12 - O secretário Municipal de Morro da Fumaça, Sr. Altair Teixeira da Rosa.
           
1975 - O Município de Treze de Maio constrói a QUARTA PONTE

  A partir do ano de 1975, ainda na gestão do PREFEITO Sr. NILSON SIMON NANDI, inicia-se a construção da QUARTA PONTE. Projeto de autoria do VEREADOR Sr. OTÁVIO SALVAN.
            A construção da QUARTA PONTE, inaugurada no ano de eleição municipal, em 1976, era mais do que necessário. Estávamos desde março de 1974 com acesso à Morro da Fumaça, Criciuma e região Sul somente via Santa Apolonia e ou São João de Urussanga Baixa. Rio Vargedo ainda continuava um grande produtor de tijólos. Olaria tinha oito, a produção de farinha de mandioca era alta.

Foto de Otávio Salvan

            A construtora, contratada para executar esta obra, sugeriu que fosse construida alí,  uma ponte baixa, ao nível médio do Rio Urussanga. Motivo que, acaso uma grande enchente viesse acontecer, as aguas com fortes correntezas vão passar por cima da ponte e não levarão a mesma. Só assim a dita ponte suportou várias enchentes por um periodo de dezessete anos, sendo a mesma desmanchada para a construção da nova ponte, ou seja, da QUINTA PONTE, de concreto, no ano de 1992 na gestão do PREFEITO Sr. JOÃO BRESSAN BARDINI “NANINHO”, e dos VEREADORES Srs. ADINOR ELIAS SARTOR e JOÃO DA SILVA, inaugurada também as vésperas da eleição municipal em novembro de 1992.

1992 - O Município de Treze de Maio constrói a QUINTA PONTE

            A QUINTA PONTE, a atual, leva o nome de: PONTE ATTÍLIO SALVAN e HUMBERTO SALVAN, quando o correto seria ponte DEFENDI SALVAN, “PONTE DO DEFENDI”. Foi homenageado os dois irmãos, por serem eles os proprietários das terras onde foram construídas todas as pontes. Defendi Salvan é filho de Attílio Salvan.
            Essa ponte foi inaugurada em 28 de novembro de 1992, na gestão do  Prefeito  JOÃO ”NANINHO” BRESSAN BARDINI e VILSON NANDI.
            Note que ela foi construida em cima da ponte baixa que existia. Toda essa obra foi custeada pelo Governo do Estado de SANTA CATARINA, na gestão do Governador Sr. VILSON PEDRO KLEINÜBING e vice Sr. Antônio Carlos Konder Reis (gestão:1991-1995).

Foto de Roque Salvan (2004)
Foto de Roque Salvan (2007)

Foto de Roque Salvan (2007)

Fontes/fotos/pesquisas: Roque Salvan
Copyright © 2007 – Roque Salvan